Os pombos urbanos e a ignorância alheia.

Pombos e as doenças


Você acha que os pombos são animais simpáticos? Sabia que a pomba branca é uma ave considerada um símbolo da paz? Talvez o que você não saiba é que os pombos podem trazer sérios riscos à saúde da população.

Muitas pessoas gostam de alimentá-los com pedaços de pão, restos de comida, pipocas, que são alimentos inadequados, que viciam os animais e prejudicam a sua saúde. Os pombos dificilmente são caçados por outros animais, por isso sua população cresce muito rápido.

Eles costumam morar em edificações, fazendo seus ninhos em telhados, forros, caixas de ar condicionado, marquises, etc. Mas, além de causarem prejuízos ao danificar as estruturas dos prédios, tornaram-se um grave problema de saúde, provocando doenças graves, que podem levar à morte ou deixar sequelas.





São patologias causadas por pombos:

Criptococose:
doença causada pelo fungo Cryptococus neoformans. É transmitida pela inalação da poeira contendo fezes secas de pombos e canários. Compromete o pulmão e pode afetar o sistema nervoso central, causando alergias, micose profunda e até meningite subaguda ou crônica. Seus sintomas são: febre, tosse, dor torácica, podendo ocorrer também dor de cabeça, sonolência, rigidez da nuca, acuidade visual diminuída, agitação e confusão mental.
Histoplasmose:
transmitida pela inalação do esporo do fungo Histoplasma apsulatum encontrado em fezes secas de pombos e morcegos. Causa uma micose profunda e seus sintomas variam desde uma infecção assintomática até febre, dor torácica, tosse, mal estar geral, anemia, etc. É uma doença que vai depender do estado de saúde do indivíduo, podendo assim se desenvolver ou não.

Salmonelose:
causada pela ingestão de ovos ou carne contaminados pela bactéria Salmonella sp presente nas fezes de pombos e outros animais. Gera uma toxinfecção alimentar com sintomas como febre, diarréia, vômitos, e dores abdominais. Suas fezes, em contato com alimentos como verduras, frutas, podem acarretar nessa doença.

Ornitose:
também conhecida como psitacose, é transmitida por via oral por meio da poeira contendo as fezes secas de aves (pombo, arara, papagaio, perus) e infectadas pela Chlamydia psittaci. O indivíduo infectado pode apresentar febre, vômito, calafrio, mialgia, tosse, cefaléia, acompanhados por comprometimentos das vias aéreas superiores e inferiores. Essa doença é oportunista, isto é,depende do estado de saúde do indivíduo.

Dermatites:
parasitose causada pelo piolho do pombo (ácaros, Ornithonyssus sp.), que provoca erupções na pele e coceiras semelhantes às de picadas de insetos.

Alergias:
ocasionadas pela inalação de penugens de pombos ou de um ar rico em poeira das fezes dos pombos. Pode causar rinites, ou crises de bronquite em pessoas sensíveis.




Quanto tempo vive um pombo?

Em seu ambiente natural, pode viver até 15, 16 anos. Porém, na cidade, normalmente costuma viver de 3 a 5 anos apenas.
Medidas de proteção e controle

É muito importante para nossa saúde controlar a população de pombos, fazendo com que eles procurem locais mais adequados para viver, com alimentação correta e longe dos perigos das cidades. Entre as medidas que podem colaborar para este fim, temos:

- nunca alimentar os pombos.
- não deixar restos de alimentos que possam servir de alimento aos pombos, como ração de cães e gatos.
- colocar telas em varandas, janelas e caixas de ar condicionado.
- tapar buracos ou vãos entre paredes, telhados e forros.
- retirar ninhos e ovos.
- umedecer as fezes dos pombos com desinfetante antes de varrê-las.
- utilizar luvas e máscara para cobrir o nariz e a boca ao fazer a limpeza do local onde estão as fezes.




Os pombosaves consideradas em quase todo mundo como símbolos da paz, são um problema ambiental para as cidades. Eles são responsáveis pela transmissão de diversas doenças como: toxoplasmosesalmonelosecriptocosehistoplasmose, além de fungos e bactérias transmitidos através das fezes. Os pombos ainda corroem monumentos e estátuas através das suas fezes, colaborando para a sujeira e poluição das cidades.

Essas aves possuem grande facilidade de adaptação e reprodução. Podem ser apontadas, três razões básicas para a sua sobrevivência no ambiente urbano: oferta abundante de abrigo; oferta abundante de alimentação e ausência de predadores.

São oriundo de espécies europeias e chegou ao Brasil no século XVI, trazido por imigrantes. Sem o controle populacional desta ave, que se adaptou muito bem às cidades brasileiras, hoje, ela se tornou uma praga urbana, pois além de se reproduzirem em grandes números, a falta de predadores também contribuiu para a proliferação desta ave que é capaz de transmitir doenças, que podem até ser fatais ao ser humano.

 

Esses animais têm como abrigos locais altos, como forros de telhados de casas e edifícios, torres de igrejas etc. Nas cidades, os pombos se alimentam de insetos, alguns frutos e, principalmente, de restos de comida, encontrados nas ruas, ou são alimentados, como pode ser observado com frequência em praças. Apesar da boa intenção dessas pessoas, além de atrapalhem o ciclo natural de alimentação das aves, elas acabam contribuindo para o desequilíbrio de reprodução e para o aumento da população da espécie.

 

O que nem todos sabem é que as fezes dos pombos domésticos podem ser transmissoras de diversas doenças graves ao ser humano. A forma mais comum de ser contaminado, nestes casos, é através das vias respiratórias, com a inalação das fezes secas. Outra maneira é por meio dos piolhos, comumente encontrados nestas aves.

 

Conheça algumas das principais doenças transmitidas pelos dejetos dos pombos:

– Criptococose

– Histoplasmose

– Ornitose

– Salmonelose

– Dermatites

– Alergias em geral

 

Hoje, existem várias maneiras de controlar a população desta espécie, sem afetar o meio ambiente. Além das atitudes domésticas, empresas oferecem serviços completos de limpeza e controle de pombos.

 

Você também pode tomar algumas atitudes para evitar o aumento dos pombos e deixá-los longe da sua casa ou do local onde trabalha:

– Ajude na conscientização da sociedade sobre o perigo que as fezes contaminadas podem causar;

– Evite alimentá-los;

– Mantenha sacos e latões de lixo sempre bem amarrados e tampados;

– Recolha com frequência os restos da alimentação de animais domésticos, como cães e gatos;

– Atente-se para o destino correto de resíduos orgânicos;

– Limpe e desinfete os lugares em que os pombos costumam frequentar e se abrigar. Não se esqueça de utilizar máscara e luvas;

– Isole ou vede, com telas ou alvenaria, os locais que permitem o abrigo dos animais, como os forros.


Em diversas cidades é proibido alimentar pombos em espaços públicos.

Vale lembrar que os pombos são animais protegidos por lei e não podem sofrer maus-tratos.

Se você tem um vizinho que alimenta pombos, converse com ele, tente conscientizá-lo.

Eu tentei por mais de duas vezes com um vizinho que, descaradamente, alimentava-os na calçada em frente a minha casa. Sim, na cara de pau ele saia do prédio em que reside e vinha largar, jogar, migalhas de pão, milho, arroz, para os pombos virem comer em frente a minha casa. Da janela do prédio ele joga em cima do telhado dos vizinhos. 

Na ultima vez em que ele largou farelo de milho na calçada em frente a minha casa se fazendo de sonso e virando as costas para admirar de longe os pombos se aglomerando para comer, peguei uma vassoura e varri para a frente do prédio, ele viu e veio na minha direção assuntar, sem máscara, como habitualmente ele anda. Eu falei em um tom em que ele pudesse escutar sem se aproximar: "O senhor está fazendo chamariz, ajuntamento de pombas em frente a minha casa". Ele continuou se aproximando até chegar a menos de um metro de mim. Parei de varrer, dei um passo para trás para falar, ele se aproximou dizendo: "É, as pessoas não gostam dos bichinhos, eu fico com pena."

Tentei explicar que não é por não gostar, é por saber dos riscos e que é uma praga...
Ele retrucou: "O ser humano também é uma praga e tem doença."

Sem mascara. Eu não quis me arriscar de ficar argumentando ou tentando conscientizá-lo com informações por que ele é daqueles negacionistas que não te deixam concluir a fala, o raciocínio, e te interrompem dizendo "eu sei, eu sei", mas não sabe. Pra evitar inalar seus aerossóis, finalizei a discussão com: O senhor quer alimentar, alimente na frente do seu prédio, não na frente da minha casa", e sai com minha vassoura. (risos) (tenso).


Em outra ocasião tive que pedir para ele parar de atirar alimento para os animais sobre o meu telhado pois eu acordava as 5h da manhã com o barulho de algo caindo, batendo sobre as telhas e meu cachorro latindo para o teto, até uma madrugada eu acordar irritado e sair para ver do que se tratava aquele barulho todos os dias + ou - no mesmo horário.
Ele disse: "Ah, é salsicha ou pedaço de mortadela que eu atiro pra um gatinho que vem lá da rua outra rua por cima dos telhados" .  Entendi, mas eu lhe peço que pare, por favor, todo dia eu acordo com o barulho e com minha cadela latindo, as cinco da manha.




ignorância se refere à falta de conhecimento.[1][2] A palavra ignorante é um adjetivo que descreve uma pessoa em estado de consciência e pode descrever indivíduos que deliberadamente ignoram ou desconsideram informações ou fatos importantes, ou indivíduos que desconhecem informações ou fatos importantes.

A ignorância pode aparecer em três tipos diferentes: ignorância factual (ausência de conhecimento de algum fato), ignorância objetual (não-familiaridade com algum objeto) e ignorância técnica (ausência de conhecimento de como fazer alguma coisa).[3]

Também pode-se classificar a ignorância em outros três tipos: nativa (advém da ingenuidade da infância ou de uma educação inapropriada), passiva (relacionada à especialização dos indivíduos, pois não é possível o indivíduo saber tudo sobre todos os temas que lhe interessa) e ativa (é a ignorância ativamente construída, mantida, regulada e difundida).

Razões para a ignorância

As pessoas não experimentam gratificação instantânea e, portanto, não investem tempo e esforço no aprendizado e desenvolvimento. Erradicar a ignorância completamente da vida de um indivíduo é uma tarefa impossível, mas reduzir a lacuna pode realmente beneficiar o indivíduo a longo prazo.[6]

Além disso, tomar a decisão de permanecer ignorante, comprometendo-se com uma ideologia, apesar da prova científica, é uma mentalidade perigosa que pode inibir um indivíduo de descobrir a verdade e, portanto, de se desenvolver como indivíduo.[7]

Consequências

Estudos sugerem que os adultos com uma educação adequada, que desempenham trabalhos enriquecedores e desafiadores, são mais felizes e controlam melhor o ambiente.[8]

Copiei da Wikipédia, a enciclopédia livre

Bolsonaro quer quadruplicar o orçamento da Secom

 "Se tem uma coisa que não tá sobrando no Brasil de hoje é dinheiro. O país tem mais de 13 milhões de desempregados e a fome voltou a assombrar o país. E mesmo assim Bolsonaro quer quadruplicar o orçamento da Secom."


A Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) foi o órgão da Presidência do Brasil responsável pela liberação de verbas e gerenciamento de contratos publicitários firmados pelo Governo Federal. Para o orçamento de 2019, o Congresso autorizou uma dotação de 150 milhões de reais para a Secom. Anunciado por Gustavo Bebianno (ex-Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência), o secretário era Floriano Amorim Neto.

Entre o fim do período Gushiken e a reforma ministerial de 2007 a Secom era uma subsecretaria, subordinada à Secretaria-Geral da Presidência. Porém, após a reforma ministerial do governo Bolsonaro em 2019, a Secom passou a ser subordinada à Secretaria de Governo.

Em 10 de junho de 2020, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República foi extinta pela Medida Provisória nº 980, tendo suas atividades incorporadas pelo recriado Ministério das Comunicações.

Escrevendo para o The Intercept Brasil, João Filho questionou o aumento da entrada de dinheiro público na RecordTV e outras emissoras nas quais os donos aparecerem ao lado de Bolsonaro. Antes do atual governo, era gasto mais dinheiro com as emissoras a partir da audiência das mesmas, mas o método foi cancelado sem motivo.

Em 15 de janeiro de 2020, foi revelado pela Folha de S.Paulo que Fabio Wajngarten, chefe da SECOM, recebeu, através de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de TV e agências de publicidade que tem contrato com o governo de Jair Bolsonaro. Dentre elas, estão a Rede Bandeirantes e a RecordTV. Tal fato entrou na análise do Repórteres Sem Fronteiras, que analisa os ataques de Bolsonaro direcionados à imprensa.[9] Em junho de 2020, um levantamento divulgado pela Agência Pública confirmou que emissoras evangélicas e pastores apoiadores do governo, foram os que mais receberam verbas publicitárias da SECOM, ao todo foram 30 milhões de reais. A maioria do dinheiro foi destinado à RecordTV, IURD e a Igreja Internacional da Graça de Deus.

Em julho de 2020, outro levantamento da Agência Pública, mostra que o governo, através da SECOM, patrocinou propaganda no YouTube da Reforma da Previdência Social no Brasil direcionada a canais infantis, de apoiadores do presidente (bolsonaristas), religiosos e de notícias falsas.

Dia da árvore

No dia 21 de setembro, é comemorado no Brasil o dia da árvore.
Eu já plantei diversas durante a vida , em uma feira de ciências anos atrás apresentei um lindo trabalho sobre educação ambiental, distribui 200 mudas de espécies nativas frutíferas.







Estado suicidário.

O conceito de Estados suicidários foi desenvolvido pelo filósofo francês Paul Virilio (1932-2018).
Segundo Virilio, o Estado suicidário é a característica final, e o inevitável desfecho, de todos os Estados que têm o desenvolvimento técnico e o progresso econômico como elementos principais de sua existência (em detrimento de outros aspectos que compõem a sociedade). Este é suicida na medida em que exaure seus próprios recursos naturais e humanos, reproduzindo a lógica da busca infindável do aumento da produção e do consumo para atender a uma estrutura de mercado econômica neoliberal.
Dessa forma, o Estado suicidário é “um novo estágio do Estado nos moldes de gestão imanentes ao neoliberalismo. É, portanto, sua fase terminal” (Vladimir Safatle).

Para Virilio, o conceito de Estado suicida/suicidário não foi criado para caracterizar, especificamente, Estados fascistas (entretanto, o nazifascismo se apresentou como a manifestação máxima de um Estado suicida). Dito isto, é importante ressaltar que há intrínsecas correlações entre os Estados fascistas do século XX e o Estado suicidário: Aqui, podemos associar o próprio conceito de Estado suicidário à característica de regimes fascistas que se remetem ao heroísmo e ao culto da [própria] morte. No fascismo, essa aproximação com seu próprio fim relaciona-se ao indivíduo (ego), e no Estado suicidário ao próprio corpo estatal (FOUCAULT, 1976).

Vladimir Safatle define a era da informática como algo perigoso, já que nos leva à perda da noção da realidade, quebrando distâncias e territorialidades e ainda proporcionando uma quantidade absurda de informações. Ele é caracterizado como um crítico que vê como negativas as implicações dos meios de comunicação de massa[3], apesar de não se considerar como tal, Virilio não considera a eliminação da internet e da cibernética, mas sugere que elas sejam utilizadas de forma civilizada. Para ele, estar na contramão das modas intelectuais é uma obrigação dos pensadores autônomos e engajados nas lutas por um mundo melhor. Ele relaciona a internet com a história e a cultura norte-americana, caracterizada por uma imposição ao mundo, um controle universal como o “big brother” previsto por George Orwell. Paul cita também o empobrecimento gerado pela concentração de dinheiro nas mãos de poucos e a automação que substitui o homem em quase todas as áreas. [carece de fontes]

Paul Virilio é um democrata, crítico do neoliberalismo, do capitalismo, da globalização e do novo império da técnica em todas as suas formas, do ciberespaço à automação. “Velocidade” pode ser considerada a palavra-chave dos pensamentos de Virilio acerca da Cibercultura, pois, segundo ele, a realidade é definida por um mundo virtual, onde se pode estar em todos os lugares e ao mesmo tempo em nenhum, ou seja, não se tem mais a noção de tempo e espaço. Ele acredita que nós estamos vivendo a Era da “Dromologia” (dromos= corrida), em que a pressa dita o ritmo das mídias e se nega a reflexão e se intensifica a superficialidade.[4]

Virilio afirma ainda que o teatro e a dança são as duas únicas linhas de resistência à virtualização: “Não há globalização sem virtualização. O teatro e a dança têm necessidade de apresentar o corpo. Então são as artes do corpo por excelência. É preciso preservá-las, se as deixarmos desaparecer na virtualização, se não preservarmos os corpos de atores e dançarinos, provaremos que as novas tecnologias são exterminadoras dos corpos não apenas através do desemprego, da miséria, mas também da referência à corporalidade, isto é, à própria teatralidade”



'Brasil no momento, com fogo em regiões como a Amazônia que não acontece naturalmente.'
Fonte da imagem: https://twitter.com/oatila/status/1306346621932843010?s=20

Mini Margarida

 Em 09 de agosto



Em 11 de agosto




Em 13 de agosto.






____________


Uns recortes:








Abelhas coletando pólen (polinizando)

Pode-se ver nitidamente o bolinho de pólen que as abelhas campeiras (operárias) trazem no cestinho do pé. Quando as abelhas mergulham na flor em busca do néctar, o pólen fica agarrado nas penugens que envolvem o corpo. Após a coleta do pólen voltam a colmeia e, durante o voo, as abelhas esfregam o corpo com a escova do pé umedecido com néctar, enrolando o pólen em bolinho, a seguir armazenam na cestinha da perna traseira e carregam até o ninho. As bolinhas que carregam nas duas pernas pesam, às vezes, mais de 40 mg, um peso equivalente à metade do peso corporal dessas abelhas. Isso significa um trabalho pesado e muito árduo.Elas estão em declínio(desaparecendo), as abelhas são muito importantes para o meio ambiente, são responsáveis por quase 80% da polinização das plantas cultivadas do planeta. Polinização é a transferência de material genético da parte masculina para a parte feminina da flor, esse é um processo importante na formação de frutos em diversas plantas. A manutenção da vegetação natural e a redução do uso de produtos químicos na lavoura são estratégias importantes que permitem a conservação dos polinizadores e da biodiversidade no planeta.
P R E S E R V E M !














Amor Perfeito







Detalhes que não enxergamos a "olhos nus"




 Viola tricolor, popularmente conhecida como amor-perfeito e erva-trindade, é uma flor bienal selvagem eurasiática. É uma pequena planta rasteira que atinge no máximo 15 cm de altura, com flores de cerca de 1,5 cm de diâmetro. Cresce nos prados e nas fazendas abandonadas, principalmente em solos ácidos ou neutros. É geralmente encontrada onde há sombra parcial. Floresce de Abril a Setembro. As flores da viola tricolor ou amores perfeitos podem ser roxas, azuis, amarelas ou brancas. É hermafrodita e auto-fértil, polinizada pelas abelhas.
Viola tricolor tem uma longa história de uso em fitoterapia. Foi recomendada, entre outros usos, como um tratamento para a epilepsia, asma, doenças de pele e eczema. Possui propriedades expectorantes, então é utilizada no tratamento das doenças pulmonares, como bronquite e coqueluche. É também um diurético e é utilizada no tratamento de reumatismo e da cistite.
É uma das muitas espécies de plantas que têm ciclotídeos e características citotóxicas, o que significa que poderia ser usada para tratar câncer.
As flores têm sido usadas para fazer corantes amarelo, verde e azul-esverdeado, enquanto as folhas são usadas para fazer um indicador químico. São muito belas. Têm várias cores, como: amarelo, branco e azul.















De acordo com a mitologia grega, Zeus enamorou-se de uma jovem chamada Lo e provocou ciúmes à sua esposa Hera, ele transformou a moça em novilha e a manteve pastando aos seus pés. Por pena da dieta de ervas a que submeteu a amada, fez com que a terra produzisse lindas flores que chamou de Lo. Outra lenda grega conta que as delicadas flores brancas eram adoradas por Eros, o cupido. Para inibir essa adoração, Afrodite as coloriu, o que resultou na coloração tricolor.
Na história, gregos e chineses usavam as violas como medicamento, e os celtas e romanos faziam com elas perfumes. Os amores-perfeitos eram usados até mesmo como elixir do amor na Inglaterra, o que, acredita-se, inspirou Shakespeare em "Sonhos de uma noite de Verão". Nessa obra, uma flor mágica teria sido esfregada nos olhos de Titânia enquanto dormia. Ela, ao acordar, apaixonou-se pela primeira pessoa que viu.
Fonte: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Viola_tricolor